quarta-feira, 29 de agosto de 2012

RADIOTERAPIA

sábado, 7 de julho de 2012

UM POUCO SOBRE RADIOTERAPIA


RADIOTERAPIA

Radiação é energia que viaja através do espaço sob a forma de partículas subatômicas ou ondas eletromagnéticas. Os vários tipos de radiação têm frequências diferentes (velocidade de repetição) em que elas oscilam.  A radiação com uma frequência baixa (baixa energia) é descrita como
não-ionizante e pode vir de fontes como rádios, televisões, fornos de microondas e lâmpadas de calor. Enquanto isso, radiações ionizantes, como raios ultravioletas solar e raios-x, oscila em uma frequência alta o suficiente para quebrar ligações químicas dos átomos. A alta energia do raios-x ou outras partículas podem ser usadas para matar as células cancerígenas em  tratamento como Radioterapia.

Radiação como terapia
O oncologista supervisiona a Radioterapia, aplicada por um tempo específico como o objetivo deste tratamento é matar as células cancerígenas sem danificar o tecido saudável circundante. Ela pode ser usada como tratamento principal ou terapia adjuvante (tratamento dado após o tratamento principal cirúrgico). Entretanto, a Radioterapia pode também ser utilizada para diminuir tumores e reduzir a pressão destes a algum órgãos, dor e outros sintomas (terapia paliativa), quando não é possível eliminar completamente a doença.
Mais da metade das pessoas com câncer recebem algum tipo de terapia por radiação. Para alguns tipos de câncer, a radioterapia é um tratamento eficaz, enquanto outros tipos de câncer respondem melhor à combinação de abordagens de tratamento que pode incluir a radiação, além de cirurgia, quimioterapia, hormonioterapia e imunoterapia.

Radioterapia Externa






Acelerador Linear

Tipo mais comum de tratamento por Radioterapia, onde a radiação é fornecida externamente ao corpo do paciente, a partir de aparelhos especiais. Este tipo de tratamento pode ser usado para tratar grandes áreas. O equipamento utilizado para criar o feixe de radiação é chamado de acelerador linearComputadores com softwares especiais são usados para ajustar o tamanho e a forma do feixe, e apontá-lo na direção correta do tumor e as células cancerígenas, poupando o tecido circundante saudável.

Diferentes formas de aplicar o tratamento:
  • Radioterapia Tridimensional Conformada (3D-CRT): 
  • Este tratamento usa computadores especiais para criar imagens detalhadas em três dimensões do câncer. Isso permite que a equipe de tratamento possa apontar o feixe de radiação mais precisamente, o que significa que pode se usar altas doses de radiação, e ao mesmo tempo reduzir os danos ao tecido saudável.
  • Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT): Este tratamento permite direcionar melhor a dose de radiação para o tumor. A intensidade dos feixes pode ser alterada conforme orientação precisa de softers especiais. Este tratamento também permite uma alta dose de radiação ao mesmo tempo em que protege tecidos normais e saudáveis.
  • Feixe de Prótons: Esse tratamento utiliza feixes de prótons, ao invés de raios-x, para tratar alguns tipos específicos de câncer. Prótons são partes dos átomos, com energia suficiente para destruir as células cancerosas quando direcionados para uma área  específica do câncer. Este tratamento também tem o foco em não danificar tecidos saudáveis ao redor das células cancerígenas. É um tratamento relativamente novo e necessita de aparelhos especiais e singulares.
  • Radioterapia Estereotáxica: Este tratamento aplica uma grande dose de radiação em uma área cancerígena pequena. É um tratamento muito preciso e necessita de colaboração total do paciente, que precisa manter-se imóvel, ou pode ser imobilizado em uma área específica do corpo. Embora seja um tratamento preciso, alguns pacientes podem precisar de várias aplicações fracionadas.
Radioterapia Interna
Também conhecida como a braquiterapia, ou terapia de curta distância, a Radioterapia Interna envolve a colocação de materiais radioativos dentro do tumor cancerígeno em si ou em tecidos que o rodeiam. Esses implantes podem ser permanentes ou temporárias, conforme o caso, requerer uma internação hospitalar.  Estes Implantes são sementes minúsculas contendo material radioativo. A radiação emitida por estas sementes atinge em sua maior parte a região ao redor da área do implante, no entanto, alguma radiação pode ser emitida para outras partes do corpo do paciente. Por este motivo o paciente precisa tomar certas precauções para proteger as pessoas da exposição à radiação enquanto as sementes ainda estão ativas. Com o tempo, o implante perde sua radioatividade, mas as sementes permanecem no corpo do paciente, inativas.
Para implantes temporários, a radiação é aplicada através de agulhas ou, 
cateteres (que transportam o líquido para o interior ou para fora do corpo), 
ou ainda aplicadores especializados e mantidos no corpo por um tempo determinado, de alguns minutos a alguns dias. Quando a radiação é temporária e mantida por mais de alguns minutos, o paciente permanece em observação em quarto privado.
Embora seja um tratamento eficaz para muitos tipos de câncer, a radioterapia, assim como outros tratamentos, pode causar efeitos colaterais. Estes variam de pessoa para pessoa, conforme o tipo e localização do câncer, a dose de tratamento e saúde da pessoa.
Os efeitos colaterais associados com a terapia de radiação podem ocorrer devido as altas doses de radiação usada para eliminar células doentes, doses que também podem danificar células saudáveis ao redor da área cancerígena. No entanto, importantes melhorias na tecnologia de radiação tornaram os tratamentos mais precisos, resultando em menos efeitos colaterais.
Para algumas pessoas, a radioterapia provoca pouco ou nenhum efeito secundário. Já para outros, os efeitos colaterais são mais graves. As reações geralmente começam pela segunda ou terceira semana de tratamento e podem durar várias semanas após a última aplicação da radiação. Por este motivo o acompanhamento médico especializado é muito importante, para prevenir e auxiliar sobre estes efeitos durante todo o processo do tratamento.

Efeitos Colaterais comuns da Radioterapia
Muitas pessoas que recebem radioterapia apresentam problemas de pele, como ressecamento, coceira, bolhas ou descamação. Esses problemas são normalmente resolvidos dentro de poucas semanas após o fim do tratamento. Se os danos na pele derivados do tratamento de radiação se tornar muito graves, o médico pode alterar a dose ou esquema de tratamentos.
Outro efeito colateral comum é a fadiga (falta de energia). Fadiga associada com o tratamento do câncer é diferente da fadiga por falta de sono, é uma sensação de exaustão que não melhora com o repouso. O nível de fadiga pode alterar caso o pacientes esteja passando por outros tratamentos, como quimioterapia. Dependendo de qual parte do corpo recebe a terapia por radiação, outros efeitos colaterais podem incluir:
Diarréia;
Náuseas e vômitos;
Boca seca;
Dificuldade em engolir;
Edema;
Perda de cabelo;
Problemas sexuais;
Problemas urinários e na bexiga.
Embora a maioria dos efeitos colaterais desapareça após o tratamento, alguns podem aparecer meses ou anos depois. Entre estes estão o surgimento de cancros secundários, no entanto, o risco disto acontecer devido ao tratamento por radioterapia é muito baixo.

Efeitos colaterais específicos
Além dos efeitos colaterais previamente descritos, outros podem surgir dependendo de onde a radiação foi aplicada:
Cabeça e Pescoço: Os efeitos colaterais da radioterapia na cabeça e pescoço podem incluir boca seca, dificuldade em engolir, feridas na boca e gengiva, rigidez na mandíbula, e náuseas.
Além disso, a cárie dentária pode ocorrer. Antes de iniciar a terapia de radiação para qualquer câncer de cabeça e pescoço, é importante visitar um dentista oncológico (um dentista com experiência no tratamento de pessoas com câncer de cabeça e pescoço). Este dentista pode recomendar a remoção dos dentes antes do início do tratamento para ajudar a prevenir osteorradionecrose (doença da mandíbula) e pode receitar um tratamento especial com flúor para ajudar a prevenir a cárie dentária.

Peito e Tórax: Os efeitos colaterais da radioterapia no tórax podem incluir dificuldades em engolir, tosse, febre, falta de ar, dor na mama ou mamilo, e rigidez no ombro. Algumas pessoas podem apresentar febre e plenitude do peito que é diagnosticado como pneumonite por radiação, uma inflamação do pulmão que pode ocorrer entre duas semanas e seis meses após a radioterapia. Se esta não for tratada pode causar uma fibrose por radiação (inflamação dos pulmões devido a radiação), que é associada com problemas cardíacos e pulmonares. Estes efeitos são previamente estudados pelo médico oncologista que irá definir a dose certa de radiação a ponto de evitá-los.

Estômago e Abdômen: Os efeitos colaterais da terapia de radiação para o estômago e abdômen podem incluir náuseas, vômitos ou diarreia. Estes sintomas provavelmente vão desaparecer quando o tratamento é concluído. O médico pode prescrever medicamentos para estes efeitos colaterais, e alterações em sua dieta para reduzir o desconforto.

Pélvis: Os efeitos colaterais da radiação à pélvis podem incluir problemas digestivos e irritação da bexiga. Beber líquidos, exceto bebidas alcoólicas ou com cafeína, pode ajudar a prevenir a desidratação associada com diarreia.
Além disso, a terapia de radiação pode afetar o sistema reprodutivo. Algumas mulheres que receberam altas doses de radioterapia podem parar de menstruar e apresentar sintomas da menopausa, tais como coceira vaginal, ardor e secura. Pode ocorrer também infertilidade permanente (incapacidade de conceber um filho ou manter uma gravidez), isto caso ambos os ovários recebam a radiação. Homens submetidos a radioterapia para os testículos ou para órgãos vizinhos, como o de próstata, terão redução de espermatozoides e atividades do esperma, o que afeta a fertilidade.
Em casos específicos a radioterapia pode levar a outros problemas sexuais, tanto em homens como em mulheres. Por exemplo, a radiação aplicada na próstata pode resultar em impotência. Além disso, pode afetar as funções do reto, bexiga e pênis. Os efeitos colaterais podem incluir diarreia, sangramento retal, incontinência e impotência.
E importante conversar com o médico e tirar todas as suas dúvidas, não tenha medo de perguntar, cada caso é específico e variável conforme a pessoa. Evite problemas e saiba o que vai acontecer com o corpo durante e após o tratamento.

www.IONRADIONCOLOGIA.com.br
primeiro dia de radioterapia
26/06/2012 Início da Radioterapia na ÍON-RADIONCOLOGIA Telefone: 55-19 37436595, na cidade de Campinas, acompanhada pelo Dr. Antonio Carlos, o radiologista. No primeiro dia de radioterapia tinha este aspecto a minha mama...




06/07/2012 - Toda sexta-feira passo em consulta com o médico da radioterapia, hoje não foi diferente. Ele prescreveu Amitriptilina 25mg para eu tomar a noite quando for dormir, creio que ele acredita que estou pouco deprimida, mas eu não me vejo ou acredito estar deprimida, mas como sinto rigidez no ombro e uma dor forte no braço direito e na mama, ontem tomei a medicação e dormi demasiado, pois só consegui acordar 11:30 hoje sábado 07/07. Sem dúvidas acordei melhor e com menos dores e rigidez. 


19/07/2012 - Hoje me sinto muito cansada, mas como já estou ciente, é devido a radioterapia e não vou me preocupar muito com isso, apenas com esta tosse persistente que esta me acompanhando ha uns cinco dias. Dirijo tranquila até o  local da rádio, em torno de 90 minutos  é o tempo que gasto entre sair de casa e chegar na clinica de radioterapia, fazer a radioterapia e voltar; este horário o transito esta "light" entre Sumaré e Campinas. 

27/07/2012 - Na vigésima sessão de radioterapia já estava com a pele da mama direita queimada e com dermatites sob a mama e a axila, em uso concomitante de saniskin e Trofodermin creme, de 8/8 horas, auxiliados pelo tradicional chá de camomila morno pra amenizar a desagradável sensação de queimadura de primeiro grau.
10/08/2012 - Avaliação do radioterapeuta, retorno marcado para o dia 28/09/2012.

13/08/2012 Término da radioterapia com todos os efeitos colaterais imediato. 
ùltimo dia da radioterapia











Corpo Alerta

Nenhum comentário:

Postar um comentário